WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa


junho 2021
D S T Q Q S S
« mai    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
blog do marcelo

camara de vitoria da conquista

unimed


:: ‘Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)’

COVID19: não faça do preconceito uma dor a mais!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

(Psicóloga)

Todos nós iremos lembrar de 2020, como o ano da Pandemia de Coronavirus! Os livros de História Geral, irão falar da doença que matou milhares de pessoas em todo mundo, no entanto, muito pouco deles, irão falar do Preconceito que sofreram as pessoas que foram acometidas pelo vírus. Uma doença que se originou no Oriente, e em pouco tempo, contaminou todo o mundo, Principalmente os países onde a maioria da população é formada por pessoas idosas.

O Brasil, tem sofrido muito com essa nova doença, as pessoas não entendem como se contaminam e de que maneira podem se curar. Não existe um remédio, uma vacina ou mesmo um paliativo, quando ela se instala. No entanto, o pior de todos os males, não está na doença, propriamente dita, mas no preconceito que surge, contra as pessoas que foram infectadas. Enquanto os profissionais de saúde lutam contra o inimigo invisível, os governos fomentam ações de isolamento, realizando testes e procurando comprar materiais que supram as necessidades básicas do combate, o medo do Covid19 está aflorando nas mentes das pessoas. A hostilidade contra os infectados está se tornando comum e episódios de natureza preconceituosa  tem se alastrado por todo território nacional, como se o doente tivesse culpa de ter contraído o vírus. :: LEIA MAIS »

A ansiedade e o medo do COVID-19

IMG_20200504_140538

Por Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)

Psicóloga.
As pessoas demonstram medo do desconhecido, sempre foi assim, e com o Covid19, não é diferente, o mundo está com medo desse inimigo invisível, principalmente, pelo fato de que o inimigo mata sem escolha e sem critério. Temos inúmeras doenças fatais, no entanto perdemos o medo delas por sabermos das suas consequências, por serem previsíveis, no entanto o Covid19, até esse momento que escrevo, continua uma incógnita, com conseqüências variadas e inesperadas, e sendo transmitido de várias maneiras, mesmo sendo afirmações meio hipotéticas, e ainda não temos maneira de controlar esse contágio.
Na época de estudante e após aplicação profissional, aprendi que o pânico e a ansiedade, nas pessoas, tem origem nos seus medos. E na área Comportamental, observei que o medo tem a sua evolução na nossa sobrevivência. De certa maneira o medo nos ajuda a sobreviver. Na verdade, o medo é o mais antigo mecanismo, que a humanidade usa, para garantir a sua própria sobrevivência histórica. :: LEIA MAIS »

Tenha cuidado com o que toleras!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)

Não devemos nos incomodar com tudo o que nos desagrada, se isso acontecer, vamos passar todo o nosso tempo zangados, emburrados, chateados com o mundo. Pois, é muito difícil você passar todo o dia sem ouvir algo que o desagrade, sem dar de cara com uma pessoa mal educada, sem que nos frustremos com alguma coisa que não saiu como queríamos, com uma pessoa amiga que não agiu como estávamos esperando. Por isso, há uma grande necessidade que filtremos, com sabedoria, o que nos chega, para não ficarmos impregnados de coisas que não nos fazem bem. Ignorar certas situações, nos poupará de vários momentos ruins, tendo em vista que será inútil tentar argumentar com pessoas que não sabem ouvir, mas sabem condenar, julgar e até mesmo se fazerem de vitimas, para que possamos nos sentir culpados. Então, tenha cuidado com o que você tolera de certas pessoas, você estará ensinando-as como devem tratá-la.

Tem pessoas que vão continuar sendo como são, mesmo que você passe todo o tempo alertando-as, conversando, aconselhando, tentando orientar, mostrando que o que elas estão fazendo não é o certo. Elas estão sempre a maltratar alguém, a achar que o mundo tem obrigação de compensá-la, por alguma coisa e acha que vida não presta, simplesmente pelos fatos não acontecerem do jeito que ela quer. Se nega a entender que a vida é imprevisível. E começa a atacar quem está por perto, principalmente os amigos que tentam ajudá-las. Para essas pessoas a vida é um martírio, que só trás sofrimento e que todos tem culpa da situação que elas se encontram. Mesmo assim, não podemos ser condescendentes com tudo ou a situação termina nos engolindo e passivamente vamos nos deixar maltratar. :: LEIA MAIS »

SOLIDARIEDADE: A alegria de poder ajudar.

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)

Ontem, uma amiga me falou que presenciou uma cena interessante: uma tartaruga ficou virada com o casco para baixo e as perninhas para o ar,  estava se mexendo muito, dificilmente ela voltaria à posição normal, sem ajuda. Foi aí que, a minha amiga,percebeu, uma outra tartaruga, chegando perto da que estava virada e, com esforço, conseguiu desvirar a companheira. A minha amiga, falou que queria ajudar, mas não interferiu, pois percebeu que ali, estava uma lição de solidariedade. E é uma grande verdade! No gesto da tartaruga amiga, podemos observar o desejo de ajudar. Assim é a solidariedade, é o desejo que temos, todos nós voluntários, de ajudar as pessoas que necessitam de apoio. Solidariedade, é a maneira que encontramos de estender a mão ao outro, colaborar com os que necessitam sem querermos nada em troca. Essas são as atitudes que revestem as pessoas solidárias, pessoas que se preocupam com o próximo.

Ser solidário é muito importante em uma sociedade tão desigual. Através da nossa ajuda, muitas necessidades são supridas e até para o solidário as coisas ficam bem melhores. No momento em que você ajuda ao seu semelhante, você começa a enxergar a sua própria existência. A solidariedade sempre fez parte das sociedades, é graças a várias pessoas, solidárias, que muita gente tem recebido ajuda, seja na educação, na habitação, alimentação, até mesmo na capacitação de profissionais, muitas empresas e seus gestores, tem ajudado a melhorar a qualidade de vida das pessoas, sem que recebam nada em troca. Todos os anos surgem campanhas, que são lançadas no intuito de ajudar famílias que perderam tudo no decorrer da sua vida e passam a necessitar da solidariedade das outras pessoas. E vemos que na maioria das vezes, essas campanhas faz sempre o maior sucesso frente à bondade dos doadores. Claro que não é todos que se preocupam com o próximo, pois existem alguns que somente se preocupam com seu próprio bem-estar, porém nem todos agem como essas pessoas. :: LEIA MAIS »

O homem é lobo do homem

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Thomas Hobbes, filósofo inglês e, um dos fundadores da filosofia política, utilizou a frase em sua obra “De Cive” ( Do Cidadão), por estar vivendo em tempos conturbados para a coroa de seu país, e suas ideias estavam condizentes com o clima de incerteza que marcou aquele período. Essa frase, vem  martelando em minha cabeça há dias, desde que o Candidato a presidente do Brasil, o Capitão Reformado do Exercito, Jair Bolsonaro, recebeu uma facada, na cidade de Juiz de Fora, no Estado de Minas Gerais, em plena campanha política. Na frase, o autor tenta exprimir um comportamento antropológico característico do ser humano: a capacidade que temos de julgar e excluir todos aqueles que não fazem parte do nosso grupo, das nossas ideias, dos nossos anseios.

Esse comportamento abre caminhos para a violência contra todos aqueles que não fazem parte do nosso meio, seja social, seja político e, ao mesmo tempo nos obriga a buscar uma “paz” entre os nossos pares, que nos dê certa segurança, representada pelos ideais sociais ou políticas do grupo. No entanto, para Hobbes, o ser humano é incapaz de manter essa paz sem uma liderança forte e centralizadora, e se alguma outra pessoa, diferente ao meio, ousa ameaçar essa liderança, seria automaticamente rechaçada. Mesmo vivendo no século XVII, sua frase, ainda possui o dom de nos fazer refletir e continua atemporal. :: LEIA MAIS »

Amores que matam!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)

Costumamos ouvir, de maneira geral, que o amor tem a capacidade de mover montanhas, e isso nos faz querer conhecer um amor que tenha competência para modificar o nosso mundo. No entanto, por mais que venhamos a analisar o amor, nunca poderemos defini-lo totalmente. Existem os amores que são uma tormenta e os que são um idílico sem fim, tudo vai depender da maneira que o casal se comporta diante do sentimento que começa a nutrir, um pelo outro.

Cada ser humano tem a sua própria ideia do que seja o amor, e infelizmente, nem sempre essas ideias são sadias, muitas são equivocadas, o que pode transformar o relacionamento em uma verdadeira armadilha perigosa, na qual a vida perde todo o sentido. No dia a dia, temos observado casos em que o amor é confundido com dependência, fazendo com que as relações fiquem tóxicas. Essa é a primeira demonstração que a pessoa tem a sua autoestima muito baixa e tende a acreditar que é preciso ir em busca de um amor fora de si mesmo, ainda que isso custe a sua dignidade.

No entanto existem relações recheadas de bom humor, alegres, dinâmica, bem movimentada. Claro que um casal, onde convivem juntos pessoas que foram criadas totalmente diferentes, vai surgir alguns conflitos, isso é natural, no entanto, esses conflitos terminam por divertir os dois, pois, são absorvidos como aprendizados e lições a não serem repetidas no futuro. Ao contrário dos amores trágicos, o relacionamento baseado no respeito, admiração, confiança e bom humor, leva o casal a usufruir momentos agradáveis e de grande durabilidade. :: LEIA MAIS »

Mulher: exigir respeito é o mínimo!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Realmente, a cada dia fico mais pasma e, juro por todos os deuses do Olímpio, que nem acredito, que mesmo com o surgimento dos meus cabelos brancos, eu ainda sigo tentando falar de coisas tão básicas, como o fato de que nós, mulheres, somos seres humanos e não uma mercadoria, nem uma decoração, não somos objetos, nem brinquedos, efalo sério. Será, mesmo que vá ser necessário desenhar. Essa semana, eu paguei uma cerveja para um amigo, e em nenhum momento eu me sentir proprietária do corpo dele ou mesmo que ele deveria me dar algo em troca. Bebemos, conversamos sobre várias coisas, rimos muito e nos tratamos como dois seres humanos. Foi fácil, muito fácil, pois, tanto eu quanto o meu amigo, sabemos que gentileza não é escambo e que cada um de nós, somos donos do nosso corpo e da nossa vontade.

Pode parecer estranho, o que eu estou falando, no entanto, sabemos que existem muitos homens, e que conhecemos, que ainda não chegaram a essa compreensão superior. E, por incrível que pareça, nem sempre notam o quanto esse tipo de comportamento é totalmente grave, pois, estamos mais acostumadas a observar os comportamentos extremamente violentos contra às mulheres. Porém, existem caras que acham que à amizade é um caminho para fazer sexo, e pressiona por ter pago uma bebida, um café, um suco, um almoço e se acham no direito de insinuar uma intimidade maior. Ontem eu li dois textos da britânica Laurem Crouch, ela tem um blog, e nele fala dos seus encontros. Li, por curiosidade, pensando em encontrar uma leitura engraçada, no entanto, foi algo assustador e bem pernicioso. :: LEIA MAIS »

Os relacionamentos estão descartáveis!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Em conversa com amigos, alguém falou que paramos de nos esforçar, e por isso os relacionamentos não estão dando certo. É, interessante esse ponto de vista. Na verdade, a própria sociedade nos leva a pensar que estamos numa maré boa, e não vale a pena ficar “brigando” por uma pessoa, quando tantas outras estão a um simples toque de dedos: através do celular, nas redes sociais, , sites de relacionamento e tantas outras alternativas. Há tempos venho refletindo, como as relações estão superficiais e descartáveis.E não falo das relações amorosas, especificamente, falo de todos os tipos de relação.  Vivemos mesmo na era do descartável, quebrou, substituímos por outro, nem mandamos consertar, divergiu da minha opinião, Unfollow a amizade, brigou com o companheiro, separa. Estamos ficando impaciente com o outro, às conquistas que tanto queríamos, hoje refutamos por não termos tempo.

Na verdade, está difícil escolher entre tantas opções, são tantos contatos nas redes sociais, que um “Bom dia” pelo Whatsapp, se resume em todos os afetos que buscamos. Fico imaginando que o velho romance está morrendo e a sobrevida vai depender do apego que se tenha ao celular. Hoje, os encontros românticos se resumem em olhar na cara da pessoa que está sentada na nossa frente. Dá para perceber, que mesmo as pessoas tendo alguém bem legar com ela, mesmo assim, os olhos ficam inquietos e não para de olhar em busca de outras alternativas, que possam aparecer. Ter uma pessoa ao lado já não basta. Temos sempre a vicissitude de escolher, e é essa escolha que nos anula. Lembrei-me de um antigo provérbio espanhol que nos fala:  “Quien mucho abarca, poco aprieta” – quem muito abraça, pouco aperta – quer dizer que nunca ficaremos satisfeitos com o que temos esempre iremos em busca de mais. :: LEIA MAIS »

E se o amor não é correspondido?

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Bem, se você não for do tipo que gosta das obras de Shakespeare ou  mesmo de Platão, onde os personagens morrem por um amor não correspondido, então fuja dos amores platônicos pois, esse tipo de relacionamento esquiva-se da normalidade, termina machucando e tirando totalmente a paz de quem se apaixonou. Posso afirmar, sem medo de errar, que não existe amor se não for recíproco. E não adianta se você for do tipo que adora ler artigos que falam como conquistar a pessoa amada, não importa se você é a pessoa mais legal do mundo, uma pessoa alto astral, viajada, boa companhia, pois não são essas coisas que farão alguém gostar de você. O que eu sei é que todos nós somos livres para amarmos quem quisermos. E, à atração, emana sempre de maneira imprevisível, e nunca sabemos ao certo o que nos atraiu no outro. E nem o que fizemos para despertar â atração.

Os amores não correspondidos trazem sofrimentos, nos levando às lágrimas, e não são gotas insignificantes, às lágrimas aparecem quando o seu amor está cansado de lutar, quando você sente que fracassou no doar-se e percebe que o relacionamento já não faz sentido. São gotas que brotam da dor que sua alma sente e o seu coração está partido. As pessoas começam a sentir amor, involuntariamente, muitas vezes, devido a sua personalidade. Quando sentimos amor por alguém, o colocamos em uma posição privilegiada, começamos a nos comportar com insegurança, imaturidade e ficamos inibidos, emocionalmente. No entanto, devo acrescentar, que o amor idealizado não é, algo necessariamente, ruim, desde que a pessoa saiba dosar racionalmente que o que ela julga ter, não existe, afinal nem toda pessoa que idealizamos, conhecem os nossos sentimentos e muitos conhecendo, às vezes, não corresponde, não nutre o mesmo tipo de anseio. Devemos, mesmo no amor, sermos racionais, para que ele não se transforme em um problema e traga sofrimento. Nesses casos, quando o sofrimento se instala e fica quase insuportável, a melhor alternativa é procurar ajuda profissional de um psicoterapeuta. :: LEIA MAIS »

Colhemos o que plantamos!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Nosso viver têm às consequências das decisões que tomamos no nosso dia a dia, talvez por isso,acreditamos tanto quando ouvimos: ” você colhe o que planta”. Essa é a maneira de se viver, através das colheitas do nosso próprio plantio. São às sementes que plantamos ao longo da nossa existência, que vai nos fornecer a colheita certa ou não. São às nossas escolhas que nos darãocondições de vivermos dentro dos nossos objetivos. Lembro outro aforismo popular, tirado da própria Bíblia, que nos fala: “debaixo do céu existe um tempo para cada acontecimento”.

É em cada tempo do nosso viver que plantamos o nosso futuro, são as nossas escolhas, às leituras, às escritas, os amigos, à família, nossos valores, nossos amores, tudo isso, nos dará um vislumbre de como será o nosso futuro. No entanto, não devemos esquecer que nossa garra, luta e persistência nos dará um futuro melhor. Portanto, não devemos perder de vista os nossos objetivos, e lançarmos a semente para termos às realizações dessa colheita. São às sementes que plantamos hoje, que nos darão os frutos de amanhã. :: LEIA MAIS »

alessandro tibo


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia