E1393547-FC2B-47E1-A03C-15DCF1933CC5

Nos anos 80 a cidade vibrou com o Km de Arranque que organizávamos em Conquista em substituição aos “pegas” que colocavam em risco a vida dos jovens daquela época, que investiam nos motores dos seus automóveis e que faziam um barulho ensurdecedor pelas principais ruas e avenidas da capital do sudoeste da Bahia.

Usamos a pista do Centro Industrial dos Imborés, a estrada dos Campinhos e depois oficializamos a Juracy Magalhães, cuja largada era no Clube Serrano, hoje Ibis Hotel, com chegada no Taquara, hoje Los Pampas.

Veio em seguida o Motocross, com pista edificada no Alto da Boa Vista, próximo ao Lomantão, onde hoje funciona o Colégio Sêneca.

Seguindo essa trajetória de cidade vanguardista em termos de práticas esportivas, na década de noventa fundamos na cidade o Clube de Autocross, sugerido por Kleber Rangel, praticante dessa modalidade ao lado do seu irmão Robinho, na cidade de Barreiras.

1F884DED-089F-422F-8108-7523F91AEB63

Hoje a Suíça Baiana ostenta o título de maior praticante de ciclismo em todo o estado da Bahia, é uma das principais em todo o nordeste brasileiro.

Conquista, se quiser, pode começar a fazer uso das bicicletas como um dos seus meios de transporte. Pode e deve. Já somos uma cidade que pratica o ciclismo como estilo de vida, como opção de lazer, seja nas ciclovias e também nas trilhas bucólicas que circundam a nossa cidade.

É como falávamos antigamente com o pessoal de Salvador que vinha curtir a micareta na cidade e elogiava o nosso clima: “vá desculpando aê”.