WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
engenhar construtora sufotur secom carnaval PMVC vittasaude HSVP hospital sao vicente santa casa


fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  
blog do marcelo

camara de vitoria da conquista

atlanta veiculos

unimed

Sheila aguarda passar a “folia” para escolher, ou decidir, seu vice. A propósito, quem você indicaria para tal?

A corrida sucessória em Vitória da Conquista está afunilando para o final, isso quando se fala sobre os nomes que estarão na disputa verdadeiramente. Não queremos aqui, por enquanto, limitar aos nomes que no momento protagonizam os noticiários por via espontânea e também porque fornecem conteúdos, a exemplo da prefeita Sheila, de Waldenor e da vereadora Lúcia. É possível que o Coronel Ivanildo, dentro dos próximos dias, faça parte desse rol de nomes, mas não podemos deixar de citar os outros pretendentes que são: o advogado Marcos Adriano, Romilson Filho, Washington Rodrigues, David Salomão e Edilson Gusmão.

Ainda temos o nome do médico Aloísio Alan, com estatura de ser candidato a prefeito, mas que já declinou do convite do Republicanos porque entende que a melhor opção pra cidade, no momento, é reeleger a prefeita Sheila, e disse também que fará o possível para que o seu partido não lance outro nome.

Alan também nos falou que o seu nome foi posto à disposição para ser o vice de Sheila e o faz por convicção: “ela merece ser reeleita, está fazendo uma grande administração, só não vê quem não quer, muitos querem jogar no seu colo antigos problemas que a cidade tem, só que a população saberá julgar”.

O que faz a prefeita Sheila esperar tanto para anunciar o seu vice? Por que esperar para depois do carnaval, março, talvez? É, não é fácil decidir, é como escolher o batedor de pênalti numa final de copa do mundo, a última cobrança, a que definirá o título. Só que a prefeita sabe dos nomes que ela dispõe no seu time, sabe o perfil de cada um deles.

E aí, Sheila, quem você escolherá?

1 resposta para “Sheila aguarda passar a “folia” para escolher, ou decidir, seu vice. A propósito, quem você indicaria para tal?”

  • Carlos says:

    Prezado amigo,
    A escolha do vice-prefeito: um desafio e uma oportunidade para Sheila Lemos

    A prefeita de Vitória da Conquista, Sheila Lemos, enfrenta um dilema importante para a sua campanha à reeleição: quem será o seu vice-prefeito? A decisão envolve não apenas aspectos políticos, mas também sociais, econômicos e culturais. Neste artigo, analiso o cenário atual e proponho uma alternativa que pode ser benéfica para a prefeita e para a cidade.

    O contexto

    Sheila Lemos assumiu a prefeitura em março de 2021, após o falecimento do prefeito Herzem Gusmão, de quem era vice. Ela se tornou a primeira mulher a ocupar o cargo na história do município, com o desafio de dar continuidade à gestão do seu antecessor e enfrentar os efeitos da pandemia de Covid-19.

    Em novembro de 2020, Herzem e Sheila foram reeleitos com 54% dos votos válidos, derrotando o candidato do PT, Zé Raimundo. A vitória representou a consolidação do projeto político iniciado em 2016, quando Herzem se elegeu pela primeira vez, quebrando a hegemonia petista na cidade.

    Sheila Lemos é empresária, formada em Administração e pós-graduada em Gestão Empresarial e Marketing em varejo. Ela é filha de José Andrade e Irma Lemos, ex-vice-prefeita da cidade. Ela também foi vice-presidente e presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Vitória da Conquista, e fundadora do Movimento das Donas de Casa (MDC), uma ONG que oferece cursos profissionalizantes gratuitos para mulheres.

    Como prefeita, Sheila Lemos tem se destacado pela sua atuação na área da saúde, ampliando a oferta de leitos de UTI, vacinando a população contra a Covid-19 e inaugurando novas unidades de saúde. Ela também tem investido em obras de infraestrutura, como a pavimentação de ruas, a construção de praças e a revitalização de espaços públicos. Além disso, ela tem buscado fortalecer o diálogo com os diversos setores da sociedade, como o comércio, a indústria, a educação, a cultura e a religião.

    O dilema

    Apesar dos avanços, Sheila Lemos sabe que não pode se acomodar. Ela enfrentará uma oposição forte nas eleições de 2024, que tentará recuperar o espaço perdido nas últimas disputas. Além disso, ela terá que lidar com as demandas e as expectativas dos seus aliados, que esperam ter espaço e voz na sua administração e na sua campanha.

    Um dos pontos mais sensíveis é a escolha do seu vice-prefeito. Segundo uma fonte próxima, Sheila Lemos tem adotado uma postura cautelosa, evitando anunciar o seu companheiro de chapa antes do início oficial da campanha. O motivo é evitar críticas e desgastes desnecessários, tanto da oposição quanto dos seus próprios apoiadores.

    No entanto, essa estratégia também tem gerado ansiedade e especulação no cenário político. Há uma extensa fila de possíveis pré-candidatos a vice na chapa de Sheila Lemos, que abrange diversas áreas, desde médicos até empresários e comerciantes. A discussão sobre a representatividade de segmentos religiosos e do comércio também ganha espaço nesse debate crucial.

    A alternativa

    Diante desse quadro, permitam-me tecer alguns comentários e, de forma construtiva, sugerir uma abordagem que pode trazer novos horizontes à campanha de Sheila Lemos. Em um momento tão polarizado como o atual, é fundamental pensar estrategicamente para além dos limites habituais. Uma sugestão madura e estratégica num momento como este é buscar um vice da classe política, alguém com densidade eleitoral tanto na área rural quanto na urbana, e que esteja fora da base política da prefeita.

    A razão para essa sugestão reside na necessidade de não apenas consolidar o apoio já existente, mas também de expandir horizontes, conquistando votos até então não explorados. Trazer alguém de fora da base política pode agregar uma perspectiva fresca e, ao mesmo tempo, deslocar a base do adversário, criando uma dinâmica eleitoral favorável.

    Entendo que a escolha de um vice não se restringe apenas ao respaldo político, mas também à capacidade de conectar-se com os anseios da população. Nesse sentido, um candidato com representatividade tanto na área rural quanto na cidade pode ser o ponto de equilíbrio necessário para conquistar a confiança de diferentes segmentos da sociedade.

    Num momento em que a polarização política está em alta, é imprescindível evitar a redundância e buscar uma composição que vá além do já estabelecido. A política, afinal, é a arte de construir pontes e unir diferentes perspectivas em prol do bem comum.

    A conclusão

    Desejo sucesso à prefeita Sheila Lemos e a todos os outros pré-candidatos nesta tarefa de escolhas, e que a composição das chapas possa ser o reflexo de uma visão inclusiva e aberta para o futuro de Vitória da Conquista. A cidade merece uma gestão competente, transparente e participativa, que possa enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades que se apresentam.

    Atenciosamente,

    Padre Carlos

Deixe seu comentário

alessandro tibo


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia