WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


agosto 2018
D S T Q Q S S
« jul    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

seneca cicatriza

:: ‘Colunistas’

Amores que matam!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves (Tia Nem)

Costumamos ouvir, de maneira geral, que o amor tem a capacidade de mover montanhas, e isso nos faz querer conhecer um amor que tenha competência para modificar o nosso mundo. No entanto, por mais que venhamos a analisar o amor, nunca poderemos defini-lo totalmente. Existem os amores que são uma tormenta e os que são um idílico sem fim, tudo vai depender da maneira que o casal se comporta diante do sentimento que começa a nutrir, um pelo outro.

Cada ser humano tem a sua própria ideia do que seja o amor, e infelizmente, nem sempre essas ideias são sadias, muitas são equivocadas, o que pode transformar o relacionamento em uma verdadeira armadilha perigosa, na qual a vida perde todo o sentido. No dia a dia, temos observado casos em que o amor é confundido com dependência, fazendo com que as relações fiquem tóxicas. Essa é a primeira demonstração que a pessoa tem a sua autoestima muito baixa e tende a acreditar que é preciso ir em busca de um amor fora de si mesmo, ainda que isso custe a sua dignidade.

No entanto existem relações recheadas de bom humor, alegres, dinâmica, bem movimentada. Claro que um casal, onde convivem juntos pessoas que foram criadas totalmente diferentes, vai surgir alguns conflitos, isso é natural, no entanto, esses conflitos terminam por divertir os dois, pois, são absorvidos como aprendizados e lições a não serem repetidas no futuro. Ao contrário dos amores trágicos, o relacionamento baseado no respeito, admiração, confiança e bom humor, leva o casal a usufruir momentos agradáveis e de grande durabilidade. :: LEIA MAIS »

Beco da Tesoura

nando da costa lima

Por Nando da Costa Lima

Foi aqui que se encontraram Íris Silveira, Erathostenes Menezes, Camillo de Jesus Lima e outros grandes poetas mateiros e caatingueiros. Todos matreiros!Nossa terra tem o hábito de abrigar grandes almas! Uma época brilhante da poesia conquistense: “Me solta gente, eu quero atravessar a fronteira…, este brado de Camilo explica tudo.

E o poeta, como sempre muito elegante, atravessou o Beco da Tesoura com muita pressa. Eros tava pensativo, tinha que arrumar um meio de ficar em Conquista, tinha bebido da água do Poço Escuro e se enraizado na terra dos Mongoiós. O Olimpo fez de tudo para resgatá-lo do meio dos mortais, mas sabia que era quase impossível, ele estava apaixonado pela poesia que emergia da Terra do Frio. Estava tão apaixonado por Conquista que só voltou ao velho mulungú da terra onde foi concebido para fazer sua última homenagem a um amigo cuja beleza ficou no passado! “Buscando a tua sombra / a evocar o passado / a ti eu me compara amigo abandonado / Tu já não temmais vida, e eu já não canto mais”. :: LEIA MAIS »

Mulher: exigir respeito é o mínimo!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Realmente, a cada dia fico mais pasma e, juro por todos os deuses do Olímpio, que nem acredito, que mesmo com o surgimento dos meus cabelos brancos, eu ainda sigo tentando falar de coisas tão básicas, como o fato de que nós, mulheres, somos seres humanos e não uma mercadoria, nem uma decoração, não somos objetos, nem brinquedos, efalo sério. Será, mesmo que vá ser necessário desenhar. Essa semana, eu paguei uma cerveja para um amigo, e em nenhum momento eu me sentir proprietária do corpo dele ou mesmo que ele deveria me dar algo em troca. Bebemos, conversamos sobre várias coisas, rimos muito e nos tratamos como dois seres humanos. Foi fácil, muito fácil, pois, tanto eu quanto o meu amigo, sabemos que gentileza não é escambo e que cada um de nós, somos donos do nosso corpo e da nossa vontade.

Pode parecer estranho, o que eu estou falando, no entanto, sabemos que existem muitos homens, e que conhecemos, que ainda não chegaram a essa compreensão superior. E, por incrível que pareça, nem sempre notam o quanto esse tipo de comportamento é totalmente grave, pois, estamos mais acostumadas a observar os comportamentos extremamente violentos contra às mulheres. Porém, existem caras que acham que à amizade é um caminho para fazer sexo, e pressiona por ter pago uma bebida, um café, um suco, um almoço e se acham no direito de insinuar uma intimidade maior. Ontem eu li dois textos da britânica Laurem Crouch, ela tem um blog, e nele fala dos seus encontros. Li, por curiosidade, pensando em encontrar uma leitura engraçada, no entanto, foi algo assustador e bem pernicioso. :: LEIA MAIS »

O Trapezista Voador

nando da costa lima

Por Nando da Costa Lima

A cidade estava alegre, tinha tempo que não aparecia um circo. E pra completar, trouxe junto Raio, o Trapezista Voador, a sensação do momento. Era aplaudido de pé em toda cidade que passava. Era alto e forte, usava uma malha preta desbotada, uma capa verde enfeitada com raios dourados (a maioria despencando) e um tênis conga branco. A mulherada delirava quando o Trapezista Voador aparecia no picadeiro, teve até caso de desmaio! A meninada enlouquecia, era uma gritaria só. Todo mundo sonhando em “ficar grande” pra virar trapezista “avuadô”.Ninguém queria ser palhaço, dava até briga… O trapezista Raio reinou absoluto, era convidado pra todo acontecimento da cidade: casamento, batizado, velório. E ele era maniento, só comparecia nos eventos com o traje que o fez famoso. Isso até acontecer a tragédia que o levouao abismo da birita e, consequentemente, a abandonar uma brilhante carreira. Aconteceu que Deolinda, filha do dono do circo, fugiu com o sacana do palhaço Mangangá. O Raio Voador se entregou de corpo e alma à cachaça. Foi isso que causou aquele incidente terrível…

Foi num domingo nublado, ninguém notou que o trapezista voador tava bêbado. Tinha se alimentado bastante pra curar a cachaça, ia fazer uma apresentação especial para os ilustres da cidade. Na hora que ele subiu no trapézio, parecia sóbrio e firme, a plateia nem notou o estado do artista. O efeito contrário da pinga só veio a acontecer depois da terceira pirueta que ele deu no ar, deve ter misturado tudo no bucho… Seu Erivelton deu o primeiro alerta: “Parece que tá chovendo macarrão com i”. Quando acabou de falar, o trapezista terminou de despejar a rajada de vômito, melando todas as autoridades presentes. O sacana tinha comido uma bacia de macarrão número seis ao sugo, até a miss da cidade foi atingida. A coitada passou a mão no cabelo, cheirou e confirmou aos gritos: “É gumito!!!”. E o sacana deu sorte: quem tavaassistindo arremessou várias cadeiras nele, mas não pegou nenhuma. Mesmo assim, quando ele pulou na rede e desceu pro picadeiro, o pessoal pegou ele de porrada que só faltou matar. Só não tomou uns tiros graças à interferência do delegado, que o levou preso pra evitar uma tragédia maior. É que o cachorrinho da mulher do dotô morreu engasgado com a dentadura do trapezista, piorando a situação. :: LEIA MAIS »

O tempo e o amor

D9EBBB84-7A92-4F62-91F0-6A13516686ED

Por Valdir Barbosa

O tempo passa, o mundo gira, a vida flui,

Pra tudo há tempo, não carece alvoroço,

Velocidade disciplinada ele possui,

O tempo é justo, para o velho e para o moço,

Frente a feridas é fenomenal unguento,

Por ele vertem os delírios das paixões,

Mas, no seu colo vive a cura do tormento,

Seu leito afoga a dor das velhas ilusões, 

Claro inexiste qualquer mal que sempre dure,

Como também as coisas boas são finitas,

Basta esperar que o grande tempo lhes procure,

Porém, o Gênio Divinal do Criador,

Deixou no ar coisa que o tempo não acaba,

O doce enlevo incrustado no amor.

Arte Iluminada: Ed Ribeiro

Laudicéia

nando da costa lima

Por Nando da Costa Lima

Não chegava a ser um matriarcado, mas elas foram fundamentais na nossa evolução social, política e espiritual. Eram elas que assumiam nas horas mais graves, sempre pendendo pro lado da razão, da paz. Evitaram várias desavenças que manchariam ainda mais a nossa história. É claro que temos nossas manchas! Na política de “curral” dos coroneis, tudo era motivo pra lançar mão das armas, a repetição papo amarelo fazia parte do cenário. E foi nesse clima que elas evitaram um desfecho trágico para uma briga que se arrastaria por décadas, ou quem sabe séculos.

Aquela briga estava sendo esperada há muito tempo…,foi em 1919, quando os grupos políticos denominados Peduros e Meletes decidiriam quem ficaria com o poder através das armas, um tempo distante onde a palavra era mantida à risca! Os Meletes tinham assumido o poder sobre pressão e queriam mantê-lo a qualqer custo. Dino Correia já estava em Conquista quando o melete Almirante sacou a pistola e deu alguns tiros pra cima, dizendo que a situação seria resolvida a bala, ele tinha consciência que estava dando início a uma luta que decidiria o destino da política e principalmente do seu pai, o juiz Araújo, um dos líderes Meletes.Almirante tinha se casado com Iazinha há poucos dias: Iazinha era pedura… :: LEIA MAIS »

O lobisomem de Ibicuí

nando da costa lima

Por Nando da Costa Lima 

NitonOrora” tinha acabado de chegar na rua da Palha, era meia noite mais ou menos… Quando virou o primeiro copo da legítima Jurubeba Leão do Norte pra ajudar na digestão, foi interrompido pelos gritos de Neuza que entrou no boteco transtornada, precisou beber uma meiotade pinga pra tomar fôlego e conseguir contar o que aconteceu, mesmo assim tremia mais do que vara verde quando descreveu em detalhes o bicho que tentou agarrá-la. Dona Noca chegou a suspeitar de um deputado, ele andou construindo muita casa de farinha na região, e todo mundo sabe que casa de farinha é o lugar preferido dos Lobisomens.

:: LEIA MAIS »

Trinta e Oito Canela Seca

delegado valdir barbosa

Por Valdir Barbosa

Na segunda feira desta semana findando, me pus a caminhar, tão logo o sol derramou seus primeiros raios dourando a bela lagoa postada numa das entradas de Itapetinga, cartão postal da cidade que me viu nascer como homem de policia, no abrir dos idos de 1976.

O domingo voara, pois estive na companhia de filha, genro, netos e amigas e amigos, tais quais, Jeremias do INSS, Benjamim Matos, provando as delícias dos acepipes de Joanita Xavier, maga da cozinha naquelas paragens, não tendo sido completa a festa, por conta da pífia apresentação do time brasileiro, frente à Suíça.

Pude ver viatura da Policia Militar, em serviço de ronda passando pelas imediações do Tiro de Guerra, nela – camionete nova, do tipo Ranger – dois prepostos devidamente paramentados e armados convenientemente.

Adiante, vez seguia em marcha acelerada ultrapassei dois senhores, para mim desconhecidos, porém, pude ouvir o teor de seu colóquio e agora cuido de reprisar fala de um destes: “Naquele tempo era fusquinha, um trinta e oito canela seca, nada de colete a prova de balas, nem fuzil, mas o povo respeitava a polícia”. Obviamente, aqueles homens simples tratavam de uma questão realmente preocupante nos dias correntes, a inversão de valores. :: LEIA MAIS »

Sinais

delegado valdir barbosa

Por Valdir Barbosa

Sempre estive atento aos sinais que brotam em nosso íntimo, desde quando, ainda muito jovem sentia os efeitos daquilo costumeiramente chamado, intuição.

Meu dileto amigo Pedro Lino, parceiro do tempo juvenil, a época do Colégio Antônio Vieira, os intitula bolhas. Segundo diz, elas são levemente estouradas em nosso juízo, a título de advertência, ou indicação ao quanto respeita qual caminho deveremos seguir, na possibilidade de acertar face às suas iluminações. :: LEIA MAIS »

Os relacionamentos estão descartáveis!

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

Em conversa com amigos, alguém falou que paramos de nos esforçar, e por isso os relacionamentos não estão dando certo. É, interessante esse ponto de vista. Na verdade, a própria sociedade nos leva a pensar que estamos numa maré boa, e não vale a pena ficar “brigando” por uma pessoa, quando tantas outras estão a um simples toque de dedos: através do celular, nas redes sociais, , sites de relacionamento e tantas outras alternativas. Há tempos venho refletindo, como as relações estão superficiais e descartáveis.E não falo das relações amorosas, especificamente, falo de todos os tipos de relação.  Vivemos mesmo na era do descartável, quebrou, substituímos por outro, nem mandamos consertar, divergiu da minha opinião, Unfollow a amizade, brigou com o companheiro, separa. Estamos ficando impaciente com o outro, às conquistas que tanto queríamos, hoje refutamos por não termos tempo.

Na verdade, está difícil escolher entre tantas opções, são tantos contatos nas redes sociais, que um “Bom dia” pelo Whatsapp, se resume em todos os afetos que buscamos. Fico imaginando que o velho romance está morrendo e a sobrevida vai depender do apego que se tenha ao celular. Hoje, os encontros românticos se resumem em olhar na cara da pessoa que está sentada na nossa frente. Dá para perceber, que mesmo as pessoas tendo alguém bem legar com ela, mesmo assim, os olhos ficam inquietos e não para de olhar em busca de outras alternativas, que possam aparecer. Ter uma pessoa ao lado já não basta. Temos sempre a vicissitude de escolher, e é essa escolha que nos anula. Lembrei-me de um antigo provérbio espanhol que nos fala:  “Quien mucho abarca, poco aprieta” – quem muito abraça, pouco aperta – quer dizer que nunca ficaremos satisfeitos com o que temos esempre iremos em busca de mais. :: LEIA MAIS »

alessandro tibo
blog do marcelo


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia