Itamar Figueredo - Presidente do Movimento Pró-Conquistas e Presidente da ACIVIC, Cláudio Marinho - Presidente da AINVIC, Sheila Andrade - CDL, Fabrício Vieira - Diretor do sistema Sesi/FIEB, Alber Resende - representante do Agronegócio e Luciano Bonfim - Presidente SINDUSCON

Itamar Figueredo – Presidente do Movimento Pró-Conquistas e Presidente da ACIVIC, Cláudio Marinho – Presidente da AINVIC, Sheila Andrade – CDL, Fabrício Vieira – Diretor do sistema Sesi/FIEB, Alber Resende – representante do Agronegócio e Luciano Bonfim – Presidente SINDUSCON

Acabou agora na sede da CDL de Vitória da Conquista uma coletiva de representantes do setor produtivo da cidade e que interfere diretamente na economia da região. Todos foram unânimes em afirmar: “Chegamos no limite. A indústria, o comércio, a população não aguentam mais. Parou tudo. É um prejuízo incalculável para todos. Já não temos mais como reabastecer. Não estamos falando apenas dos combustíveis, o reflexo do movimento atingiu todos os setores produtivos, a economia foi atingida, cremos que está na hora de retomarmos o nosso dia a dia”.

Os dirigentes também reconhecem, em uníssono, a legitimidade das reivindicações dos caminhoneiros. Entendem que são sacrificados, assim como o resto da população, pelos altos índices de taxas e impostos que pagam, só que, segundo eles, já está na hora de parar e afirmam: “extrapolou o limite da resistência. A economia foi atingida em cheio, os prejuízos são enormes, o povo não consome”.

Hoje, às 18h, o grupo vai explicar com detalhes aos ouvintes do Agito Geral o saldo desta paralização que já ultrapassa dez dias.