WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


março 2018
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

fast impressoes

:: 24/mar/2018 . 12:03

Deputado Fabrício defende vagão exclusivo para mulheres em metrôs

0D8AC120-BF24-4B46-9872-317485E7903D

Um projeto de lei (PL./22.580/2017) do deputado estadual pelo PCdoB, Fabrício Falcão, propõe o estabelecimento de vagões exclusivamente para mulheres e pessoas com deficiência, nos horários de pico, para coibir o assédio sexual e garantir acessibilidade ao sistema metroviário da capital. Segundo a justificativa da proposta, o número de mulheres assediadas sexualmente em trens, metrôs e ônibus no Brasil, especialmente nos centros urbanos, vem crescendo e exige medidas.

“Os casos de assédio têm se tornado cada vez mais frequentes, audaciosos e violentos. Entre 2012 e 2016, foram mais de mil ocorrências apenas nas capitais brasileiras. Essas agressões vão desde homens se esfregando ou apalpando as mulheres, abordagens inconvenientes, olhares, gestos obscenos, até fotos tiradas sem consentimento. Sabemos, no entanto, que esse número de registros é apenas uma parte do que acontece, porque muitas mulheres não denunciam com medo do constrangimento, além de serem culpabilizadas por terem sido vítimas de violência”, justifica o projeto. :: LEIA MAIS »

“Cada povo tem o governo que merece”, disse um francês do século XIX.

Tia Nem

Por Maria Reis Gonçalves

O filósofo francês Joseph-Marie Maistre (1753-1821) um ferrenho defensor do regime monárquico e critico fervoroso da Revolução Francesa, conseguiu colocar o seu nome na história mundial ao falar a expressão “CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE”. A frase foi registrada em uma carta, datada de 1811, e publicada 40 anos mais tarde. Ao falar, o filósofo quis dizer que a ignorância popular é a responsável pela escolha dos maus políticos, aqueles que representam o povo. Sendo contrário à participação popular nos processos políticos, Maistre acreditava que todos os desmandos do governo cabiam como uma punição para àqueles que elegiam os seus representantes, mas não sabiam usar o seu voto e por esse motivo não podiam reclamar quando os políticos não agiam de maneira ética. Já se passaram mais de 200 anos e a expressão dita pelo filósofo francês permanece atemporal aqui em nosso país.
O Brasil possui uma “democracia” imatura e educação capenga, por esses motivos, o eleitor ainda tem o seu voto definido pelo poder econômico e pelas falsas promessas totalmente descabidas e bajuladoras feitas pelos candidatos aproveitadores e desinformados nas questões sociais locais e econômicas, do município que pretende governar. Existe ainda o voto em que o eleitor se baseia na simpatia do político, pela crença religiosa e até mesmo pela boa oratória, tivemos casos em que a população feminina votou no político mais bonito. Mas na maioria das vezes o voto é trocado pelo assistencialismo. É muito raro você encontrar um eleitor que tenha o cuidado de analisar o passado, as relações interpessoais e o plano de governo fundamentado do candidato. O País que causou admiração no vocalista da banda de rock irlandesa U2, Bono Vox, pela criação da Lei da Ficha Limpa, não possui uma lei que venha a punir o político que, acometido do esquecimento conveniente, deixa de cumprir promessas e compromissos firmados com o eleitor. :: LEIA MAIS »

Essa estória de história com “H”

nando da costa lima

Por Nando da Costa Lima

Isto faz parte da história. É claro que a gente, além de aumentar um poquinho, só revela o milagre! É que os fatos e a imaginação se misturam na memória, tem muito tempo que escutei! Foi em 1950, quando Getúlio Vargas, em campanha presidencial, veio parar aqui em Conquista. Os “cumpade” Cabo Thiago, Dória e Alfredinho foram os responsáveis pela segurança da ilustre visita. Tinha gente de tudo que é canto: Guigó, Piripiri, Ibicuí, Iguaí, uma comitiva de poetas de Poções, Lagoa da Pedra, Jequié… Tinha gente até do norte de Minas. O Bicho de Pedra Azul não veio não, é mentira. Ele estava numa passeata em São Paulo. O evento se tratava de um ex-presidente concorrendo novamente à presidência. Uma das imprensas mais tradicionais da Bahia já naquela época, a de Condeúba, veio cobrir o evento, não era qualquer coisa não! A cidade se preparou, tava um brinco. O candidato chegou num dia e se picou no outro, foi o presidente que mais demorou em Conquista. Tinha que sair catando votos e apagando a fama de ditador Brasil afora. Aqui em Conquista o foguetório em sua homenagem foi comentado até em Salvador. O comício foi na Praça Barão do Rio Branco, que faz parte da história política de Conquista. A praça tava lustrando! Parecia uma capital no feriado de 7 de Setembro, só tinha gente arrumada! Mas, como em todo comício, tinha vendedor de tudo o que se pode imaginar: mariola, quebra queixo, taboca, rolete de cana, doce de umbu, pirulito…”Olha o pirulito enfiado no palito”. E é claro, não podia faltar doido, como a Terra do Frio sempre foi carente de doidos, mandaram buscar dois numa cidade vizinha. Comício sem doido não é comício. Um discursando a favor e o outro contra o presidente. Correu tudo como planejado pelas senhoras da terra, o comício foi impecável e o ex-presidente ficou muito grato com a simpatia e os prováveis votos obtidos no Planalto da Conquista. A Terra do Frio parece que votou fechado com Getúlio Vargas, tem até um busto dele na Serra do Maçal (quanto à votação unânime, eu não tenho certeza. Dr. Rui Medeiros pode informar melhor sobre isso e sobre o caso seguinte). :: LEIA MAIS »

alessandro tibo
blog do marcelo


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia