WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
PMVC


fevereiro 2018
D S T Q Q S S
« jan   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728  

camara vitoria da conquista cdl fast impressoes

:: 11/fev/2018 . 13:21

CarnaBar agitou o circuito dos bares

F98962A1-0171-4B60-AFD6-04BDCD53D7EB

Na noite de ontem os bares Camarote e Boteco Carioca abriram com sucesso e folia da galera jovem universitária ao som de Dinho, Betão e Dan Lu. A animação tomou conta do circuito de barzinhos e restaurantes da zona Leste da cidade.
Dante e Vitinho apostaram na viabilidade da festa desde o ano passado, agora não existe mais dúvidas que tudo deu certo. Hoje a folia fica por conta de Carol Porto, Betão e Diego Massa, e amanhã por Narjara, Katinha e Betão.

Nobel fez o bailinho das crianças

5A53C67A-D88A-4E0E-AE7F-5A0E4F36C383

O carnaval em Conquista não está parado, ao contrário, várias opções estão sendo oferecidas aos foliões que preferiram ficar na cidade.
Na manhã de ontem o casal Walmária e Zé Maria Caires receberam os pais e seus filhos para curtirem o Desfile de Fantasias e o Bailinho Infantil. :: LEIA MAIS »

Armandinho, Dodô & Omar, Jau e Katê fazem a festa pra pipoca no circuito Barra/Ondina

718D4AF0-2D7F-4CB6-B73F-4C26E224D7AD

Hoje o circuito Barra/Ondina vai receber três feras da música baiana que irão premiar o folião pipoca, com patrocínio do governo do Estado que investiu aproximadamente 70 milhões na festa de rua que o mundo reconhece como a melhor e mais participativa.
Os irmãos Macedo sempre são esperados com grandes expectativas pelos nativos e turistas. Armandinho é reconhecidamente um dos melhores guitarristas do mundo. A turma filha de Osmar esteve em Vitória da Conquista pela primeira vez em 1980, quando contratamos o grupo na Ribeira, na residência do patriarca da família, o velho Osmar, que inventou o trio elétrico junto com o amigo Dodô. :: LEIA MAIS »

Ristorante Pedaço do Mar

nando da costa lima

Por Nando da Costa Lima

Quando chegaram, pareciam uma tropa… Mas só era o coroné Climério com a família de sua noiva, que a convite dele vieram provar a melhor buchada do Brasil. Tava fazendo aquele agrado ao sogro porque este foi o último a concordar com o casório, achava que Climério não era o homem certo pra sua filha. Os convidados eram tão simples que mal comeram, mas Climério comeu por todos e ainda pediu sobremesa. E foi essa a causa de tudo. Eles estavam no restaurante e dormitório que margeava a Rio Bahia e que era vizinho da fazenda de Climério.
Na saída, ele já sentiu a barriga roncando, e quando foi montar no seu burro de confiança, sentiu uma pontada aguda e deu um peido de responsabilidade, daqueles que melam cueca, calça e sela. O burro chegou a refugar, mas o coitado tava amarrado e teve que se acomodar. Climério voltou de vez, nem chegou a se sentar na sela, voltou no mesmo ritmo e já desceu do burrão esculhambando com o cozinheiro e todo mundo que trabalhava naquela merda de restaurante. A comida tava tão velha que em menos de vinte minutos ele já tava naquele estado, nem o burro tava suportando o cheiro, quase tirou o cabresto! Mas ele como cliente do recém inaugurado cliente do recém inaugurado restaurante “Pedaço do Mar” nem sei porque aquele nome, naquele fim de mundo que só chovia de dois em dois anos, caatingão brabo. Quando ficava marrom o jeito era se picar pra Sompa. Mas foi nesse cenário que o coroné Climério se borrou todo na frente do restaurante, quem tava no local, viu. Foi por isso que o coroné já entrou porta adentro do restaurante com um 38 em cada mão, ia mandar o “miseravi” que fez ele passar aquele vexame pro inferno. Não tava nem aí, ia disparar os dois revólveres na cara do filho da puta que lhe serviu aquela comida estragada. E quem conhecia Climerão sabia que ele não falava pras paredes. :: LEIA MAIS »

alessandro tibo
blog do marcelo


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia