nando da costa limaPor Nando da Costa Lima

-Alô…, é Rita? Ritinha meu amor, aqui é Bira seu noivo, tô ligando numa hora dessas, é que aconteceu um negócio chato aqui em São Paulo! Vou te contar antes que você fique sabendo pela boca de algum safado mentiroso viciado em Internet. Senta que a conversa é demorada. Como você sabe eu vim pra São Paulo pra passar um mês na casa do meu irmão, Reverendo Ernesto, até ele melhorar a saúde. Só que na chegada eu fui logo assaltado, levaram minha mala e meu violão, por sorte não levaram o dinheiro que tava bem guardado na meia. Fiquei tão retado que tomei uma meiota de pinga e entrei no primeiro ônibus que passou, só para sair daquela rodoviária! Fui parar no centro, não queria chegar na casa de Ernesto já com problema. Quando vi aquela multidão cantando e dançando, fiquei entusiasmado e a cachaça levou-me pro centro da festança, o pessoal tava animado, era confete, serpentina e purpura pra todo lado, todo mundo fantasiado, até estranhei! Tinha de tudo: Carmem Miranda, onça, beija-flor, Mulher Maravilha, que por sinal era a preferida da maioria. Tirei retrato adoidado, eles foram com minha cara e até acharam que meu chapéu de palha e minha botina rangedeira era uma fantasia, não largavam do meu pé, era “Paraíba” pra lá, Paraíba pra cá. O pessoal era tão educado que eu nem importei, nem falei que era baiano, catingueiro criado com carne de bode e leite de cabra, macho até debaixo d’água! Só um jornalistazinho me tirou do sério e eu abri o verbo e meti a mão na orelha. Disse que Paraíba era o rabo dele, dei meu nome completo e com muito orgulho bati no peito e falei bem alto: “Sou baiano de Conquista”. Depois disso eu não lembro de mais nada, acordei morrendo de ressaca na casa do meu irmão, minha cunhada tá igual um bicho, nem o telefone queria deixar que eu usasse, vou ter que ir embora hoje mesmo. Tudo por culpa daquele jornalista que para se vingar publicou minha foto ladeado por Carmen Miranda e a Mulher Maravilha na capa da revista gay. O Reverendo foi parar na UTI quando soube que aquilo já tava até na Internet. E o pior, Ritinha, é que o safado ainda escreveu embaixo do retrato: “Paraíba de Conquista faz sucesso na Parada Gay Paulista”. E agora minha nega? O que esse povo não vai falar, com que cara eu vou chegar aí e explicar essa tragédia… Alô!Allô!… Ué, Ritinha desligou… tô lascado…, se a mulher da minha vida não acreditou, imagine os inimigos!.. Esse povo vai distorcer tudo… Só mudando pra Jequié.